Marta Silva

Nacionalidade: 

Formada em Dança pela Escola de Dança Ginasiano, através da qual realizou viagens de estudo, frequentando vários cursos de formação em: Paris, Bruxelas, Varsóvia, Kiev, Hungria, Tallinn e Nova York. É finalista da licenciatura em Ciências da Educação na Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto, já com estágio concluído na área da coordenação de Projectos artístico-Pedagógicos, tendo neste âmbito publicado o livro "Educação pela Arte" (2001). Trabalhou com vários coreógrafos em projectos independentes, entre os quais destaca: Ana D`Andrea, Ana Figueira, Ana Borges, Bruno Listopad, Jan Zobel, Marcelo José, Marisa Godoy, Peter Micheal Dietz, Pedro Carvalho e Viviane Rodrigues. De 1995 a 2000 trabalhou com o Núcleo Arquipel de Criação e com o Núcleo de Experimentação Coreográfica (NEC), como intérprete em projectos pontuais, e como membro da direcção de ambas as associações culturais. Através da Companhia Instável, trabalhou como intérprete na residência coreográfica de Nigel Charnock (1999), de Jamie Watton (2000) e de Ronit Ziv (2002), e mais tarde trabalhou como Ensaiadora desta companhia nas produções de Javier de Frutos (2003) e Wim Vandekeybus (2004), tendo neste último também acumulado o papel de intérprete numa substituição, Rui Horta (2006), e Madalena Victorino (2007). Em Janeiro de 2001 integra a Companhia Paulo Ribeiro, onde trabalhou regularmente como intérprete em todas as produções deste coreógrafo até ao 2006. Em teatro trabalhou com os encenadores: John Moat, José Wallenstein, Miguel Moreira e Nuno Cardoso. Participou no filme “Pele” de Fernando Vendrell (2004). Foi protagonista de um filme da Parthnogenesis Vídeo Sequence, um trabalho do Artista Plástico Angelo Musco para a Exposição ScopeMiami (2006). Fez assistência de coreografia a “Segredo Secreto” de Ana Figueira (1999) e a “Imune” de Pedro Carvalho (2001).Assistência de movimento para as peças de teatro Woyzeck e Plasticina com encenação de Nuno Cardoso (Teatro Nacional S. João, 2005 e 2006), e Ricardo II (Teatro Nacional D. Maria II - 2007). Assistência de Coreografia a Felix Lozano no Filme Publicitário Vodafone Irlanda (2007).

Co-criação com Félix Lozano do vídeo-instalação “AplauSOS” para o encerramento do Festival X (Convento da Saudação, 2004), e da performance EM VERGONHA-ME, a convite do Teatro Aveirense (2006). No que diz respeito à leccionação, de 1996 a 2000 foi professora de iniciação à dança e música na Escola de Dança Ginasiano, tanto no Curso Básico de Dança e Expressões Integradas, como no Projecto de Área Artística - Vertente Dança nas Escola de 1º ciclo do ensino oficial (V. N. Gaia e Porto). Orientou vários workshop/ateliers de dança criativa em projectos de intervenção sócio-cultural em diversos Bairros de Habitação Social (Porto). Através do NEC, fez parte da produção e coordenação do Projecto Educacional “Máquinas”, em colaboração com o Museu da Indústria e Ciência, dirigido a professores e alunos do 1º ciclo do distrito do Porto. Foi professora convidada da disciplina de Educação e Expressão Estético-Artistica da Licenciatura em Educação de Infância - Escola Superior de Educação Santa Maria (2000 - Porto). Associada à Companhia Instável, orientou aulas de contemporâneo ao elenco, e foi responsável pelos workshops que esta companhia organiza em diferentes teatros/teatros (2003/2007). Associada à Companhia Paulo Ribeiro, orientava aulas de dança criativa para crianças e iniciação à dança contemporânea no Teatro Viriato (2002-2004), e foi também responsável pelos ateliers de teatro visual associados ao projecto/espectáculo nas Escolas do distrito de Viseu (2004). Responsável pelas aulas de Movimento para actores nas peças de Nuno Cardoso (TNSJ – 2005 e 2006, TNDM II - 2007). Mais recentemente tem orientado oficinas de movimento no Centro de Pedagogia e Animação do Centro Cultural de Belém.

Desde 2004 muda-se para Lisboa, onde se sediou até ao momento. Depois de ter colaborado com várias entidades ao nível da formação artística, em 2009 fica mais focada na direcção do seus próprios projectos e estruturas culturias. Sendo assim fundadora directora artística da SOU associação Cultural (Anjos-Lisboa), e através desta cria o novo projecto LARGO Residências (Intendente - Lisboa), do qual é fundadora e presidente da Direcção.  O trabalho que tem realizado na direcção desta cooperativa cultural – LARGO Residências, tem sido alvo de uma reconhecimento internacional a vários níveis.  Foi um projecto âncora do processo de transformação urbanística que o Intendente sofreu, onde as práticas culturais de intervenção artística são já referencia em vários contextos. A Comissão Europeia já reconheceu a LARGO Residências como um exemplo de vanguarda no que diz respeito à forma como usa a arte no estabelecimento de parcerias criativas com outros sectores da sociedade e na forma como define o seu estilo de residências artísticas abertas com a comunidade.

Tem participado em inúmeras conferencia relacionadas com as práticas culturas, a participação e envolvimento comunitário.

Foi convidada para ser júri em duas das edições das candidaturas de projectos para o Centro de Inovação da Mouraria / CML (2014 e 2015). Foi membro do jurí do concurso “Ideias para o Intendente” promovido pelo Fablab / CML (2014). Foi júri no concurso Marchas de Lisboa promovido pela EGEAC / CML (2016). Juri no Concurso “Acesso Cultura” (2016). Júri da Direcção Geral das Artes / Ministério da Cultura, no concurso Artes de Rua e Dança Contemporânea (2017/2018).

 

 

 

Artista