Residência Aberta - "Niet-Hebben: Carta Rejeitada"

Residência Artística - Crista Alfaiate e Diogo Bento
Teatro
Conversa
Crista Alfaiate
Domingo, Dezembro 2, 2018 - 17:00

Nesta residência aberta convidamos o público a conhecer o processo de criação de Niet Hebben: Carta Rejeitada, da autoria de Crista Alfaiate e Diogo Bento. Este é também a primeira vez que abrimos ao público a nossa nova sala de ensaios. Estamos habituados a recriar e a transformar os cantos do Bairro Intendente em novos locais de trabalho artístico: vidraceiras, fábricas de retalho, oficinas, armazéns, garagens...  Desta vez inauguramos uma nova sala de ensaios na Travessa do Maldonado, no número 18, para uma partilha de ideias, experiências, trajectos, conhecimentos e inspirações, também com o público adolescente.  Pretendemos que este seja um encontro entre artistas e a comunidade, após uma residência de Crista Alfaiate e Diogo Bento que começou no início de Novembro: « Este projecto nasceu de uma ideia original de Crista Alfaiate a partir do universo da correspondência. Após ter apresentado em 2017, no Teatro Maria Matos, o espectáculo Animenos, construído a partir do texto de Rita Taborda Duarte intitulado Animais e Animenos, surgiu a vontade de conceber um objecto artístico, desta vez para um público juvenil (dos 10 aos 15 anos), acerca do género epistolar, ou seja, cartas.»


sinopse

Em cena, tipo, uma actriz algemada. Mãos presas como uma criminosa. Ainda assim, disposta a escrever uma carta como quem fala. Enquanto fala. Acusada por si própria de vasculhar a correspondência alheia, reflete sobre o conteúdo de algumas cartas que leu (indevidamente, à socapa, em vez de estar a “anhar” no instagram ou a tirar selfies). Partindo de textos conhecidos como Carta do achamento do Brasil de Pero Vaz de Caminha, Carta ao pai de Kafka, Carta a Bosie de Oscar Wilde, Cartas portuguesas de Mariana Alcoforado e Novas cartas portuguesas de Maria Teresa Horta, Maria Isabel Barreno e Maria Velho da Costa, entre outras, blá blá blá, esta carta fora do baralho pretende repensar alguns temas como o feminismo, a guerra e o pós-colonialismo num mundo onde o facebook e otweeter é que estão a dar cartas. Uma carta que tanto pode ser um discurso ou um e-mail, sem medo do passado e de olhos postos no futuro. Uma correspondência a ser trocada entre toda a família e para pessoas dos 10 aos 15 anos.


ficha técnica

Texto original: Crista Alfaiate e Diogo Bento
Criação e Interpretação: Crista Alfaiate
Apoio à Criação: Diogo Bento
Desenho de luz: Rui Monteiro
Desenho de Som / Sonoplastia: Sérgio Martins e Rui Lima
Figurinos: Aldina Jesus
Conteúdos Gráficos e Visuais: Catarina Lee

Direcção de Produção: Joana Costa Santos
Coprodução: Teatro LU.CA e TNSJ
Apoio: Fundação GDA e LARGO Residências

Parcerias